Fernando Tordo: Biografia resumida, Discografia


Fernando Tordo: Biografia resumida, Discografia, Os Festivais da Canção em que foi intérprete, Os Festivais da Canção em que não foi intérprete, Os Êxitos que cantou, Os Êxitos que entregou.

Fernando Tordo não precisa de apresentação, a sua riqueza musical, quer como cantor como compositor é de tal forma grande que hoje podemos dizer que Portugal está de parabéns por ter um músico assim. Todavia, este músico tem como interesse pela pintura e pela escrita. | onde comprar bitcoin em portugal

Fernando Travassos Tordo nasceu em Lisboa em 1948, e desde muito cedo se ligou à música, começando a cantar aos 16 anos. Compôs algumas das canções mais emblemáticas da língua portuguesa, sendo considerado uma figura tutelar da música lusa pela extensão e originalidade da sua obra.
Destaca-se a sua colaboração como compositor dos poemas de Ary dos Santos, os seus temas são cantados por um vasto leque de cantores como Carlos do Carmo, Mariza, Carminho, Amor Electro, Simone de Oliveira, Beatriz da Conceição, Ana Moura, Anabela, Tonicha e António Zambujo, entre outros.
Este cantor e compositor passou pelos Delton e pelos Sheiks, onde substituiu Carlos Mendes.

Fernando Tordo também foi um grande recordista de presenças no nosso Festival da Canção, a saber:
Em 1969 com Cantiga, no ano seguinte interpretou Escrevo às Cidades, em 1971 Cavalo à Solta, em 1972 foi convidado a interpretar a canção Dentro da Manhã, em 1973 marcou presença com Tourada (este tema foi a eleito para ir representar o nosso país no palco da Eurovisão) e com Carta de longe.
No ano de 1977 integrado no grupo Os Amigos (Fernando Tordo, Paulo de Carvalho, Luísa Basto, Ana Bola, Edmundo Silva e Fernanda Piçarra), é o compositor  do tema Portugal no Coração, também esta canção nos representou na Eurovisão, no Reino Unido. A sua última presença no Festival foi em 1984 com o tema Canto de Passagem, com música de sua autoria.
Estas foram as presenças de Fernando Tordo nos palcos do Festival da Canção como intérprete e na grande maioria das vezes também como compositor.
Ainda faltaria mencionar as canções que compôs para outros colegas participarem nas nossas finais nacionais para a Eurovisão, como Minha Senhora das Dores para Luís Duarte e Apenas o meu povo para Simone de Oliveira em 1973, Estrela da tarde e Novo fado alegre para Carlos do Carmo em 1976, Tricot de Cheiros para Zélia Rodrigues em 1984 e P’ra Te Dar Abrigo para Anabela em 2018.
Sobre os Festivais da Canção na carreira de Fernando Tordo voltaremos a falar em artigos próprios.

Passamos a destacar mais alguns dos marcos da carreira de Fernando Tordo:
- 1975 - Funda a editora discográfica Toma Lá Disco juntamente com Carlos Mendes e Paulo de Carvalho;
- 1981 - Vence o Festival da Canção da Rádio Comercial com o tema Conversa Nova;
- 1982 - Muda-se para a Ilha do Faial nos Açores, onde mantém residência até 1986.
- 1984 - Edita o álbum Anticiclone com orquestrações de François Rauber que tinha sido colaborador de Jacques Brel.
- 1985 - Dá um concerto na Aula Magna onde contou com a participação de Carlos do Carmo (vídeo em baixo);
- 1986 - Ainda com a colaboração de François Rauber edita o álbum A Ilha do Canto.;
- 1990 - Nasce o projeto musical  de grande sucesso Só Nós Três que inclui também Carlos Mendes e Paulo de Carvalho;
- Entre 1993 e 1994 participou no projeto televisivo Falas Tu ou Falo Eu com Carlos Mendes. Este programa tipo piano bar foi transmitido na SIC numa série de 50 emissões;
- 1999 - Apresenta o programa Clube Tordo na CNL;
- 2003 - Edita o livro Fantásticas, Fingidas e Mentirosas;
- 2008 - Edita o livro Se Não Souberes Copia;
- Entre 2008 e 2010 faz uma digressão por grandes cidades com a Stardust Orchestra (24 músicos) dirigida pelo maestro Pedro Duarte. Esta digressão terminou com um espetáculo no Coliseu dos Recreios com as participações especiais de Carminho, Rui Veloso e dos Gato Fedorento;
- 2013 - Faz uma série de espetáculos musicais com cantores como  Sara Tavares, Tiago Bettencourt, António Zambujo, Amor Electro, Deolinda, Luísa Sobral entre outros.

Mas este Homem da música em Portugal certo dia zangou-se com o nosso país…

Prémios e Distinções
1969 - Foi um dos vencedores dos Prémios da Casa da Imprensa como cantor e compositor pela riqueza harmónica, melódica e rítmica dos trabalhos gravados em disco;
1973 - Vence o X Grande Prémio TV da Canção Portuguesa e representa Portugal na Eurovisão;
1974 - Vence o Prémio da Casa da Imprensa pelo disco O Emprego/A Língua Portuguesa, com música e interpretação suas e textos de Ary dos Santos, orquestração de Pedro Osório e José Calvário: Este seu trabalho foi classificado como O Melhor Disco Simples, pela sua popularidade e as canções oriundas de um contexto especificamente português - o teatro de revista;
1977 - Volta a ganhar o Prémio da Casa da Imprensa. Neste mesmo ano integra o grupo Os Amigos e vence o Festival RTP da Canção com a canção com música de sua autoria Portugal no Coração e ruma até ao Festival Eurovisão da Canção;
1981 - Vence o Festival da Canção da Rádio Comercial com o tema Conversa Nova;
1982 - É distinguido com o prémio para O Melhor LP de Música Portuguesa pelo álbum Adeus Tristeza;
1988 - É um dos distinguidos com um dos Prémios da Figueira da Foz, no âmbito do Prémio Nacional da Música, para o projeto discográfico Menino Ary dos Santos que incluiu 9 dos 27 poemas do livro Asas da autoria deste poeta;
1997 - Vence o Prémio da Casa da Imprensa;
2003 - O Presidente da República de então Dr. Jorge Sampaio atribui-lhe a distinção de Comendador da Ordem do Mérito.
2017 - Foi distinguido com o Prémio Pedro Osório pela SPA - Sociedade Portuguesa de Autores pelo seu disco feito no Brasil denominado Outro Canto;

Fernando Tordo participou em inúmeros espetáculos musicais, quer antes, quer depois de 25 de abril de 1974. No Teatro marcou presença no Parque Mayer e no Teatro Aberto.